Apresentacao-SPForró-2.jpg

 

HISTÓRICO DO SP FORRÓ 

A primeira célula do Coletivo SP  Forró  nasceu  em 2012, com  a criação do  Bloco do  Baião, para homenagear o centenário de Luiz Gonzaga. Em 2015 nasceu uma outra célula, o SP ROOTS, coletivo que representava os Forrozeiros da Zona Leste de São Paulo.  O grupo se tornou Coletivo SP Forró oficialmente em novembro de 2017, com o objetivo de fortalecer e unir os artistas que promovem a cultura nordestina em todas as regiões de SP, Norte, Sul, Leste, Oeste e Centro. Entendemos que essa é uma oportunidade impar de fomentar as atividades do grupo. Visto que a cidade de São Paulo contém a maior população de descendentes e imigrantes nordestinos fora do Nordeste, em todo o Brasil. O forró já está intrínseco na nossa cultura, e está em processo de se tornar patrimônio nacional, assim como o samba, e impacta a vida de pessoas de todas as idades, jovens adultos e idosos, seja através da música, da culinária, da maneira de se vestir, ou da dança. O coletivo reúne trios, bandas, mestres de cultura, dançarinos e historiadores, que estudam, vivem e difundem o forró, na cidade de São Paulo, fortalecendo assim essa cultura popular, tão presente no cotidiano da população paulistana. E eles pretendem fazer essa ação na zona leste, o Festival SP Forró Na Quebrada, visto que este é um grande reduto da cultura nordestina, possuindo a praça do forró, que é palco de inúmeras manifestações artísticas, diversas casas do norte e espaços culturais que poderão conectar esses fazedores de arte e o público presente, permitindo assim que esse elo seja fortalecido e multiplicado. 

 

 

 Objetivos Gerais: Fortalecer a cultura popular nordestina com a atuação de artistas da cidade de São Paulo. Incentivar a renovação do forró, contemplando novos artistas, que ainda não tem muito espaço no circuito paulistano. Ao mesmo tempo, perpetuar essa cultura, valorizando o trabalho dos mestres de cultura, contadores de história, professores de dança, que tem muito a ensinar e transmitir para os novos. Promover a interação entre os artistas da cidade de São Paulo e o público, que é composto em sua maioria por imigrantes nordestinos e descendentes.

 

BREVE HISTÓRICO DO COLETIVO 

 

A primeira célula do Coletivo  SP Forró nasceu em  2012,com a criação do  Bloco  do Baião, para homenagear  o Centenário de Luiz Gonzaga. Foram 6 atividades, iniciadas em dia 24 de Junho de 2012 (Dia de São João) e encerrando dia 13 de Dezembro de 2012 (Dia Nacional do Forró). Em 2015 nasceu outra célula, o SP ROOTS, coletivo que representava os Forrozeiros da Zona Leste, onde foi Gravado um DVD, no CEU Vila Curuçá, ao vivo e também foi lançado um CD Coletânea de forró em São Miguel e no CTN. Em 2016 o Bloco do Baião ingressou no Carnaval de Rua de São Paulo e fundou o Carnaval de Rua de São Miguel Paulista, que hoje é referência na zona leste, há 5 anos.

 

Em 2017 esse mesmo movimento assume o nome de Coletivo SP FORRÓ, com o objetivo de fortalecer e unir os artistas que promovem a cultura nordestina em todas as regiões de SP, Norte, Sul, Leste, Oeste e Centro. Hoje temos mais de 50 grupos conectados ao coletivo, entre mestres de cultura, professores de dança, artistas, músicos e amantes do forró. E nos reunimos mensalmente para traçar metas que fortaleçam esse movimento e que possam nos ajudar a encher cada vez mais o coração das pessoas com muita alegria, através desse ritmo contagiante.

Já realizamos diversos shows em Festivais, Casas de Cultura, CTN (Centro de Tradições Nordestinas SP) com homenagens a Jackson do Pandeiro e com o SP Forró Mulher, em comemoração ao dia Internacional da Mulher, SESCs, SESIs, alguns cortejos pela Avenida Paulista e participamos também do Forró da Garoa (2018). Participamos também de festivais em Minas Gerais e Trindade. Fizemos participações no programa “É de Casa”, da Rede Globo, e participamos do Carnaval de Rua SP, com o Bloco SP Forró e o Bloco do Baião, que atraíram milhares de pessoas no centro histórico da capital e também em São Miguel.

Fazem parte do SP Forró grupos tradicionais de forró como o Trio Sabiá, com 33 anos de existência, a cantora e gestora cultural Juliana Lima, com 23 anos de carreira, líder do grupo de mulheres Trio Beijo de Moça, o Trio da Lua, liderado pelo ativista e produtor cultural e cantor Wagner Ufraker (Zé da Lua), o Trio Amizade, o Trio Flor de Mussambê, o Quarteto Refungá, o Fabinho Zabumbão, que acompanhou Dominguinhos em shows por 15 anos, o cordelista Cacá Lopes, com mais de 30 anos de carreira, a banda Sarrabulho, o historiador Professor Vagner, que foi um dos fundadores do movimento de forró universitário, em meados dos anos 2000 em SP, a produtora cultural Alzira Viana, que está há mais de 30 anos realizando ações para a difusão da cultura nordestina na  capital paulistana, e é uma das fundadoras da praça do forró. 

BLOCO DO BAIÃO PRIMEIRA CÉLULA  EM 2012 PARA

HOMENAGEAR O CENTENÁRIO DE LUIZ GONZAGA

Bloco_do_Baião-_Lançamento_CD_Trio_Arcov
Bloco_do_Baião-_Lançamento_CD_Trio_Arcov

Bloco_do_Baião-_Lançamento_CD_Trio_Arcov
Bloco_do_Baião-_Lançamento_CD_Trio_Arcov

bloco_do_baião_1
bloco_do_baião_1

Bloco_do_Baião-_Lançamento_CD_Trio_Arcov
Bloco_do_Baião-_Lançamento_CD_Trio_Arcov

1/9

SP ROOTS - FORROZEIROS DA ZONA LESTE SEGUNDA CÉLULA  NASCEU EM 2014 EM SÃO MIGUEL PAULISTA  

Flyer frente - gravação dvd
Flyer frente - gravação dvd

tras - nova
tras - nova

Capa CD SP Roots
Capa CD SP Roots

Flyer frente - gravação dvd
Flyer frente - gravação dvd

1/6

SP FORRÓ NOVEMBRO 2017 EM REUNIÃO NA  

CASA DE CULTURA DE SÃO MIGUEL ANTÔNIO MARCOS   

Exposição 4
Exposição 4

Exposição 1
Exposição 1

SP_FORRÓ
SP_FORRÓ

Exposição 4
Exposição 4

1/6